10 mar 2017

TECNOLOGIA LASER É OPÇÃO DEFINITIVA PARA TRATAMENTO DA SAÚDE ÍNTIMA FEMININA

( DINO - 10 mar, 2017) - O Brasil é campeão mundial em cirurgias plásticas íntimas, de acordo com dados da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS). Em alguns casos, porém, a correção de alguns problemas que abalam a autoestima da mulher pode ser obtida com tratamentos no consultório médico, por meio de tecnologia que utiliza LASER. São os casos de atrofia vulvovaginal, ressecamento vaginal e combate à incontinência urinária, incômodos muito comuns na fase pós-menopausa e que atrapalham consideravelmente a vida sexual feminina.


"Procedimentos a LASER têm alta taxa de sucesso e satisfação de pacientes, pois é indicado para graus leves a moderados de incontinência urinária e atrofia genital. Utilizando um espéculo especial e duas ponteiras adequadas para a região, o aplicador dispara os feixes do LASER em toda a extensão do canal vaginal", explica a ginecologista Valéria Guerra.


Atrofia vulvovaginal


A atrofia vulvovaginal é a situação cujos tecidos vulvovaginais tornam se finos, delgados e frágeis. Isso causa desconforto, dor na relação sexual, odor vaginal e problemas secundários como infecção urinária. O tratamento da atrofia deve ser individualizado. Por exemplo, é possível recorrer a hormonioterapia e alcançar bons resultados, porém, essa maneira de amenizar o problema já se torna impeditiva em mulheres com risco de neoplasias, especialmente o câncer de mama. Em casos assim, o LASER se destaca como única alternativa aceitável.


A tecnologia LASER ATHENA, da plataforma brasileira mais vendida no mundo ETHEREA-MX®, realiza o procedimento que restaura a espessura da parede vaginal e da vulva. ATHENA incorpora um procedimento minimamente invasivo que, aliado a um método de tratamento revolucionário que promove a melhoria da saúde da mulher, atua com precisão, segurança e eficácia. O equipamento emite LASER fracionado Er:YAG 2940 nm, o que permite que a aplicação seja amplamente controlada pelo médico, entregando a energia de forma muito mais precisa na mucosa íntima, pequenos/grandes lábios e região da virilha.